Descrição do logotipo: palavra inclusive escrita à mão, em verde, entre parênteses laranja, com os pingos dos “is” laranja.
Descrição do logotipo: palavra inclusive escrita à mão, em verde, entre parênteses laranja, com os pingos dos “is” laranja.

Holbrrok, sentado, vê certificado que o reconhece como homem mais velho com sindrome de Don, ao lado de Pat Foley e Melissa Stoltz
Holbrook, sentado, vê certificado que o reconhece como homem mais velho com síndrome de Down, ao lado de Pat Foley e Melissa Stoltz

Waseca – Minesota, EUA – Pat Foley ficou tão animada quando a correspondência do Livro Guiness dos Recordes chegou para Bert Holbrook há uma semana, que ela quis gritar a novidade para todos no meio da rua.

“É tão legal!”, disse.

Holbrook agora tem o certificado que comprova que ele é a pessoa mais velha com síndrome de Down com vida – em todo mundo.

Há 18 meses Foley deu início ao processo em nome de Holbrook, depois que soube que o homem mais velho com síndrome de Down que constava no livro Guiness havia morrido em 2007. Ela achava que seu paciente na instituição Elm North em Waseca, Minesota, nos Estados Unidos poderia obter o título.

Halbrook completou 80 anos em agosto.

Na terça-feira Foley e Melissa Stoltz, que também ajuda a cuidar de Holbrook em Elm North, mostraram a ele o certificado e leram a carta da Equipe de Direção do Livro Guiness dos Recordes, em Londres.

O texto da carta diz “Temos o prazer de confirmar que o senhor obteve o título de homem mais velho com síndrome de Down com vida, e um certificado que comprova o fato foi enviado pelo correio hoje”.

Os dados foram assim colocados no livro: Bert Holbrook, americano, nascido em 24 de agosto de 1928, é atualmente o homem mais velho com síndrome de Down, com 80 anos e 79 dias em 11 de novembro de 2008.

“Do mundo !”, repetiu Foley para Holbrook, que sorriu ao ver o documento diante dele.

Ele nasceu em Waseca, filho de Bert e Lilian Holbrook numa época em que a expectativa de vida das pessoas com síndrome de Down era de 9 anos, a institucionalização era a regra e os cuidados médicos mínimos, de acordo com especialistas.

Mas Holbrook sobreviveu nesta comunidade, vivendo com seus pais e uma irmã mais velha, Marian, trabalhando na mercearia da família. Durante 60 anos ele foi um rosto familiar na pequena cidade, e era conhecido como Junior.

Em 1984 Holbrook foi morar em uma casa para idosos chamada Elm Homes, e foi transferido para Elm North em 2004.

O dono da Elm Homes, Gene Miller, pretende emoldurar o certificado de Holbrook e pendurá-lo em seu quarto.

A irmã de 90 anos de Holbrook, que mora em Indiana, está muito animada com a notícia sobre seu irmão e Foley feliz pela publicidade trazida pelo título, tanto para Holbrook, quanto para todas as pessoas com síndrome de Down.

“Eu quero que todos saibam como eles são incríveis”, disse referindo-se à comunidade com síndrome de Down.

“Eles são pessoas reais, não apenas estatísticas”.

Traducão: Patricia Almeida

It’s official: Holbrook is oldest living man with Down syndrome

Email Print

County News/Ruth Ann Hager

Junior Holbrook looks at his official certification from the Guinness Book of World Records that indicates that he is the world’s oldest living man with Down syndrome. Assisting are Pat Foley, right, and Melissa Stoltz.

By RUTH ANN HAGER
News Editor

WASECA — Pat Foley was so excited when the official Guinness World Record arrived for Bert Holbrook a week ago that she wanted to stand on a street corner and shout out the news.

“It’s so cool,” Foley said.

Holbrook now has the certificate to prove he holds the Guinness World Record as the oldest living person with Down syndrome — in the world.

Eighteen months ago, Foley began the process on Holbrook’s behalf after learning that the oldest man with Down syndrome, according to Guinness, had died in 2007. She began to think that her patient at Elm North in Waseca, could hold the record.

Holbrook turned 80 years old in August.

On Tuesday, Foley and Melissa Stoltz, who also cares for Holbrook at Elm North, showed him the certificate and read him a letter from the Records Management Team at Guinness World Records in London.

The letter reads, “We are pleased to confirm that you have set the new Guinness World Record for ‘Oldest man with Down’s syndrome – living’ and a certificate to commemorate has been sent to you by post today.

“Details of your achievement have been entered into our records as follows: Bert Holbrook (USA, b. 24 August 1928) is currently the oldest fully authenticated male with Down’s syndrome aged 80 years 79 days as of 11 November 2008.”

“In the world!” Foley repeated to Holbrook, who smiled at the document held in front of him.

He was born in Waseca to Bert and Lillian Holbrook in a time when people with Down syndrome lived to an average age of nine years, institutions were the norm and medical care was minimal, according to experts.

But Holbrook thrived in the Waseca community where he lived with his parents and older sister, Marian, and helped out in the family grocery store. For 60 years he was a familiar face around town and everyone knew him as Junior.

Holbrook went to live at Elm Homes in 1984 and moved to Elm North in 2004.

Elm Homes owner Gene Miller plans to frame the Guinness World Record certificate for Holbrook’s room, Foley said.

Holbrook’s 90-year-old sister in Indiana is very excited about the record for her brother and Foley is happy for the publicity the Guinness World Record has brought to Holbrook and others.

“I want everyone to know how awesome this population is,” she said about the Down syndrome community.

“They’re real people, not statistics.”

http://www.wasecacountynews.com/news.php?viewStory=1781

Ruth Ann Hager is at 507- 837-5446 or rhager@wasecacountynews.com.