Descrição não fornecida

Acontece entre os dias 20 e 24 de julho, em São Paulo, capital, o XI Congresso Brasileiro de Terapia Familiar, evento realizado a cada dois anos pela Associação Brasileira de Terapia Familiar (ABRATEF). Nesta edição, o congresso possui como tema “Família e Terapia Familiar – Expandindo Horizontes”, propondo uma abordagem transdisciplinar do trabalho com famílias e o diálogo com profissionais do Direito, da Educação, Tecnologia, Medicina e outras áreas.

Uso de redes sociais, doença na família, desempenho escolar de crianças e adoção são apenas alguns dos assuntos abordados no XI
Congresso Brasileiro de Terapia Familiar e que promovem a conversa entre áreas aparentemente tão distintas. Assuntos muito debatidos atualmente, como a homoparentalidade, também fazem parte da programação: “Que famílias atendemos? Aquelas que existem”, afirma Helena Maffei Cruz, coordenadora da Comissão Científica do congresso.

De acordo com a presidente do XI Congresso Brasileiro de Terapia Familiar, Rosa Macedo, o objetivo principal do evento é “agregar,
reunir, juntar, aproximar pessoas que tenham interesses comuns, que veem a família como núcleo de produção e reprodução social , como matriz da identidade pessoal e, portanto, uma organização de base para a construção de uma sociedade mais igualitária, mais justa e menos excludente para os que vivem em situação de vulnerabilidade”.

No total, são mais de 300 trabalhos inscritos e em diversos formatos. Cursos, oficinas, mesas redondas e simpósios ajudam a compor a
programação e a promover a troca de saberes entre terapeutas de família e casal, profissionais diversos, estudantes e o público em geral. Atividades culturais também estão previstas durante o evento, trazendo a Arte como mais um horizonte a ser expandido dentro das práticas da Terapia Familiar.

O XI Congresso Brasileiro de Terapia Familiar também coincide com o aniversário de 20 anos da ABRATEF. Para o atual presidente da
associação, Marcos Naime Pontes, a realização do congresso nesses moldes demonstra que os terapeutas estão “alertas para a necessidade da assimilação dos rumos seguidos pelas famílias em relação à política e à tecnologia: horizontalização do poder, acessibilidade à informação, rapidez na comunicação, plasticidade das relações de acordo com os novos hábitos, oportunidades de subsistência e desafios para a educação. Queremos dar espaço, também, à eterna arte, com sua capacidade de expressar nossas vidas: um instrumento revelador, especular e expansor de nossas almas”, afirma.

A abertura do XI Congresso Brasileiro de Terapia Familiar será feita pelo I Simpósio Latino Americano de Terapia Familiar, que tem como tema “Família e Comunidade: Panorama e Desenvolvimentos Latino Americanos” e conta com a participação de representantes da Argentina, do Paraguai, México, Equador e outras nações. Como se não bastasse a agenda cheia desses quatro dias, os organizadores também tiveram o cuidado de acrescentar à grade cursos intensivos que podem ser realizados à parte, mesmo por quem não esteja inscrito no Congresso, pelo valor de R$ 80 cada.

Mais informações podem ser obtidas no endereço
http://abratef.org.br/congresso201 

As incrições para o XI Congresso Brasileiro de Terapia Familiar ou para os cursos intensivos também podem ser realizadas no mesmo website.

XI Congresso Brasileiro de Terapia Familiar
Data: 20 a 24 de julho de 2014
Local: Sheraton São Paulo WTC Hotel
Av. das Nações Unidas, 12.559 – Brooklin Novo – São Paulo, SP
Inscrições: http://abratef.org.br/congresso2014