Jecyone Pinheiro

Assimilar noções de cidadania e respeito de forma lúdica e fazer do aprendizado e conscientização uma brincadeira pra lá de séria faz do teatro uma ferramenta muito feliz na hora de preparar novos cidadãos. No Dia Mundial do Teatro, que será comemorado no próximo dia 27, a experiência da ONG Rádio Margarida, que há 20 anos trabalha o teatro como arte-educação em Belém do Pará, é a prova de que se pode aprender brincando e que a diversão é uma ótima fonte de inspiração na hora de se transmitir valores sólidos. “Trabalhamos em três vertentes: o teatro com atores, de bonecos e o clown”, diz José Arnaud, coordenador da ONG Rádio Margarida. No teatro, o clown é o palhaço, mas não aquele modelo clássico de palhaço que se vê em circo. Um clown no teatro é basicamente: o próprio ator de forma “exagerada”.

Arnaud conta que o teatro é utilizado no trabalho de educação popular assim como outras linguagens onde as informações que se quer transmitir são repassadas para o público dentro de um determinado contexto. “Utilizamos essa ferramenta tanto em projetos maiores, como o de educação fiscal que fizemos em parceria com o governo do estado em que íamos às escolas apresentando o espetáculo e falando sobre as varias vertentes da educação fiscal – como em projetos para adultos, a exemplo do aleitamento materno e a prevenção à dengue”. Lembra Arnaud, ao ressaltar que a escolha da vertente teatral depende do público que se quer atingir. “O que muda é a abordagem do assunto. Ao contrário do que se pensa, o adulto acaba aproveitando o teatro de bonecos ao assimilar a mensagem a ser transmitida”.

Eugênia Melo, coordenadora de Projetos da ONG, explica que o teatro de bonecos possibilita conversar, dialogar, transmitir informações que são muito difíceis de serem trabalhadas com crianças. “É o caso de violência sexual, que temos um espetáculo – Lenda de Sombra e Luz, no qual os personagens das lendas amazônicas interagem com as crianças e adolescentes, transmitindo informações mais lúdicas e sensibilizando a plateia para a temática”.

O trabalho teatral da Rádio Margarida já foi apresentado para públicos diversos desde comunidades ribeirinhas ou que vivem às margens das estradas. “Realizamos um trabalho interessante onde os personagens e palhaços visitavam as casas das pessoas numa espécie de teatro ambulante, foi bem legal porque as pessoas ficam mais abertas para conversar, uma vez que o palhaço quebra o gelo e facilita o diálogo”, finaliza Arnaud ao destacar que essa troca de informações com a comunidade através do personagem facilita a interação.

Rádio Margarida – O Centro Artístico Cultural Belém Amazônia, mais conhecido como Rádio Margarida, foi criada em julho de 1991 e trabalha com a educação popular. As ações da ONG são voltadas para o atendimento das necessidades humanas, principalmente de crianças e adolescentes.

A Rádio Margarida tem como missão irradiar arte, cultura e educação popular para a melhoria da qualidade de vida na Amazônia. A ONG utiliza o método de educação popular Rádio/Ação que envolve linguagens artísticas e meios de comunicação para uma ação transformadora. “Assim, a ONG realiza projetos, campanhas, eventos e pesquisas voltadas para a educação, saúde, meio ambiente, cidadania, arte, cultura e comunicação social”, explica Eugênia Melo, coordenadora de projetos da ONG Rádio Margarida.

Entre as ferramentas educativas utilizadas, estão peças teatrais, vídeos, músicas, radionovelas e spots, que são finalizados em dvd, cd, cd-room, livros, entre outros.

A sede da Rádio Margarida fica em Belém do Pará, mas suas atividades atingem várias regiões da Amazônia e de outros estados brasileiros, tanto em ações diretas com o público, como também, por meio de produções educativas.

A ONG já recebeu premiações nacionais e internacionais. Um reconhecimento as suas iniciativas e projetos realizados, principalmente, em defesa dos direitos da criança e do adolescente.

ONG Rádio Margarida
Avenida Governador José Malcher, 189 – Nazaré – Belém, PA
Fone: (91) 3212 2496
www.radiomargarida.org.br