Rede Nacional Primeira Infância - três crianças sorriem sentadas em um sorrisoDurante o mês de outubro, o projeto “Roda Gigante: Primeira Infância em Primeiro Lugar” mobilizou a cidade de Salvador e discutiu questões relacionadas à primeira infância. Esse é o primeiro ano em que a programação ocorre e foi organizada pela Rede Nacional pela Primeira Infância, da qual a Avante – Educação e Mobilização Social atualmente faz parte da secretaria executiva.

Maria Thereza Marcílio, atual coordenadora, conta que ocorreram várias rodas de diálogos com adultos e cirandas infantis. “Pensamos no mês de outubro dar um foco especial no assunto”, diz. Várias entidades que debatem a primeira infância foram convidadas a participar da organização. Decretada por lei em 2007, em outubro também ocorre a Semana Nacional de Prevenção a Violência na Primeira Infância, celebrada anualmente entre os dias 12 e 18.

No Roda Gigante, um dos eixos temáticos, o direito ao brincar, propôs um contraponto ao 12 de outubro, data normalmente marcada pela corrida consumista voltada para as crianças. Maria Thereza explica que o eixo procurou trazer a “ideia do brincar como maneira que a criança tem de aprender o mundo, de relacionar”. O direito à proteção também foi tratado, assim como o direito à atenção integral e integrada. A participação nos eventos foi variada, entre profissionais, militantes e pais.

Dentre os eventos, destaca-se uma roda de diálogo com o Ministério Público, uma audiência pública focada na questão das creches, duas rodas em comunidades de Salvador, contação de histórias, brincadeiras, entre outros. A exposição “Onde brincam as crianças?” também foi montada no espaço Oi Kabum!. Composta por fotografias e vídeos, foram 200 inscrições, das quais 20 foram premiadas.

O Roda Gigante realizou seu último evento no dia 24. A coordenadora avalia: “Eu acho que a gente conseguiu pautar a primeira infância na cidade”. Maria Thereza disse que se pretende sugerir uma institucionalização desses eventos para os próximos anos: “A primeira infância é uma responsabilidade de todos, do poder público, da família. É preciso toda uma cidade para cuidar de uma criança, não só um setor”.

É importante também dar visibilidade à questão: “Um dos problemas da primeira infância é que ela é muito invisível”, afirma Maria. As crianças da primeira infância são grandes vítimas de agressões e pautar a questão é fundamental. De acordo com a coordenadora, essa criança deve ser reconhecida como cidadã plena de direitos e merece ser tratada com respeito e dignidade. Como um dos encaminhamentos dos eventos, foi criado um pacto pela primeira infância.

Rede Nacional pela Primeira Infância
A rede é formada por várias organizações que trabalham com a temática da primeira infância, atuando na promoção e defesa dos direitos dessa população. Ela tem como proposta dar visibilidade à causa, como forma de atingir seus objetivos.

Confira as fotos dos eventos aqui.
Confira dados relativos à primeira infância.
Mais informações em www.primeirainfancia.org.br

Fonte: ABONG