Menino com deficiência segura lápis com dificuldade enquanto faz um desenho ajoelhado no chão.Crianças com deficiência estão entre os grupos mais marginalizados da sociedade. A afirmação é parte de um relatório do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, apresentado na Assembleia Geral da ONU, nesta quarta-feira.

Segundo o Unicef, a maioria das crianças que  tem deficiência não tem acesso à educação e cuidados de saúde, fica sem chances de brincar e adquirir cultura e sofre discriminação como se fossem um “fardo invisível”.

O Fundo da ONU afirmou ainda que ao ter uma deficiência, a criança acaba sendo excluída da sociedade por causa de várias barreiras. Entre elas, a falta de professores treinados, prejuízo, estigmas e incompreensão por parte dos pais, professores e da sociedade.

Menores nesta situação também estão mais propensos à violência, abusos e negligências por parte de adultos e outras crianças.

Apesar de não ter estudos mais precisos sobre os casos de discriminação, o Unicef afirma que muitas crianças não têm acesso a serviços básicos de saúde, como por exemplo vacinas.

Ainda segundo o relatório do Unicef, crianças com deficiência sofrem com preconceito em todos os aspectos. O impacto pode ser desumano para elas fazendo com que direitos básicos sejam negados incluindo o direito à vida.

Fonte: Rádio ONU