Os Inclusos e os Sisos

A partir do dia 20 de setembro e até o final de outubro, o grupo Os Inclusos e os Sisos – Teatro de Mobilização pela Diversidade, projeto de arte e transformação social da ONG Escola de Gente – Comunicação em Inclusão, dá início a uma turnê por cidades do Nordeste para apresentar o espetáculo Ninguém mais vai ser bonzinho, no formato de esquetes e com acessibilidade na comunicação, prevista em lei: Legenda, Libras, programas em braile e em letra ampliada e audiodescrição. Além de atendimento prioritário para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida.

Com patrocínio da CHESF – Companhia Hidro Elétrica do São Francisco e apoio da Lei Rounet do Ministério da Cultura, o grupo vai a Recife e a Petrolina, em Pernambuco, passando também, por Salvador, Sobradinho e Paulo Afonso, na Bahia. Em outubro, uma nova rodada de espetáculos levará Os Inclusos e os Sisos para Teresina e Fortaleza. “Esta parceria é a junção de uma decisão empresarial e de uma experiência artística em prol da valorização da diferença e das singularidades das pessoas. Juntas são forças indutoras de um reconceituar de ideias e princípios que alimentam a crença de um ideal: a plena inclusão”, diz Manuel Aguiar, coordenador do Comitê de Acessibilidade e Inclusão da Chesf.

Todas as apresentações serão gratuitas e abertas ao público. A expectativa é de se atingir um público de mais de 1.400 pessoas diretamente nas 14 apresentações previstas no projeto. Ao final da circulação, a expectativa é que Os Inclusos e os Sisos tenham atingido a marca de 192 apresentações em todas as regiões do Brasil para um público de mais de 40.000 pessoas desde a criação do projeto pela Escola de Gente, em 2003, por iniciativa de Tatá Werneck, hoje VJ da MTV.

Claudia Werneck, fundadora da Escola de Gente e autora do livro Ninguém mais vai ser bonzinho, na sociedade inclusiva, inspirador da peça, acompanhará pessoalmente parte da turnê e dará palestras sobre o livro antes de cada apresentação nas cidades de Recife, Salvador, Fortaleza e Teresina. Além das palestras, Os Inclusos e os Sisos darão Oficinas de Teatro e Inclusão em algumas dessas localidades. O objetivo da Escola de Gente e da Chesf é mobilizar agentes culturais locais para que se apropriem do uso de recursos de acessibilidade em suas produções artísticas, especialidade da Escola de Gente, pela qual a organização vem sendo reconhecida e premiada.

A primeira apresentação dessa concorrida turnê no nordeste será no dia 20 de setembro, em Recife, em celebração ao Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência, comemorado no dia 21 de setembro.

Assim como o livro, a peça Ninguém mais vai ser bonzinho tem como tema central a urgência em se promover uma sociedade inclusiva, passando da fase de conscientização para a de ação. O livro foi publicado no ano de 1996 pela WVA Editora, especializada em inclusão, é vendida também em formatos acessíveis, e se tornou a primeira obra no Brasil a tratar do tema a partir da Resolução 45/91, assinada pela ONU em 1990. A Escola de Gente apresentou a Ninguém mais vai ser bonzinho pela primeira vez em 2007, com criação e direção de Diego Molina. Agora, em formato de esquetes, adaptada e dirigida por Marcos Nauer, o espetáculo ganha novas cores e ritmo – de forró. Com bom humor, as cenas vão revelando formas sutis de discriminação. Diego Molina e Marcos Nauer são um dos/as fundadores de Os Inclusos e os Sisos.

A turnê faz parte do início das celebrações pelos 10 anos da Escola de Gente. Na última década, a ONG vem trabalhando a favor da inclusão de grupos em situação de vulnerabilidade na sociedade, especialmente crianças, adolescentes e jovens com deficiência. Através de ações de Comunicação, Cultura e Educação, a Escola de Gente tem como objetivo democratizar o conceito e a prática da sociedade inclusiva. A organização incide em políticas públicas e integra o Conselho Nacional de Juventude, o Conselho Estadual de Juventude e a Campanha Nacional pelo Direito à Educação, entre outras redes.

“Em seus 10 anos de existência, a Escola de Gente tem se dedicado a fortalecer a inclusão de pessoas com deficiência nas políticas públicas, nas empresas, nos movimentos sociais, nas produções culturais, nas escolas, em quaisquer espaços sociais. Nessa direção, o convite da Chesf nos permite reforçar um de nossos valores institucionais: as parcerias intersetoriais, indispensáveis para se fazer da inclusão uma prática cotidiana, e não apenas celebração de dia de festa”, destaca Claudia Werneck. A fundadora da Escola de Gente lembra que pessoas com deficiência têm urgência em contribuir para o desenvolvimento socioeconômico e cultural do país. “Retornar ao nordeste com o nosso grupo Os Inclusos e os Sisos – Teatro de Mobilização pela Diversidade, agora com o patrocínio da Chesf e apoio da Lei Rouanet, é um marco na história da Escola de Gente”, completa.

Em Recife, serão quatro dias de apresentação, de 20 a 23 de setembro. Nos dias 26 e 27 será a vez de Salvador receber a turnê. No dia 29, o projeto estará novamente em Pernambuco, com apresentação agendada na cidade de Petrolina. Já a Bahia volta a receber o grupo no dia 30, desta vez em Sobradinho. A primeira fase da excursão pelo nordeste será encerrada em 5 de outubro, em Paulo Afonso, também na Bahia.

Confira a programação completa no site www.escoladegente.org.br