Carteira de trabalho
Em vídeo, a Organização Internacional do Trabalho (OIT), busca abordar o conceito de “inclusão” aplicado à questão do trabalho/emprego de pessoas com deficiência em três países: Etiópia (7 depoimentos), Tailândia (3) e Vietnã (2).

Leia a seguir descrição integral do vídeo produzida pelo Romeu Sassaki.

Todos têm o direito de estarem incluídos

Produção: Organização Internacional do Trabalho (OIT).
Ano: 2011.
Duração: 5 minutos e 57 segundos.
Público-alvo: Empregadores em geral.

Tradução/descrição visual: Romeu Kazumi Sassaki

Descrição visual das imagens e palavras

[Todas as descrições e explicações do tradutor/descritor estão entre colchetes. Todos os letreiros e legendas que aparecem no vídeo estão em negrito].

[O vídeo começa com uma música africana e a voz de um cantor, que não aparece neste momento].

[Letreiro]
Com frequência, pessoas com deficiência se sentem excluídas, na escola, dos transportes públicos, indo fazer compras e no mundo do trabalho.

[Letreiro]
A sociedade desconhece a maioria das barreiras que excluem pessoas com deficiência.

[Letreiro]
“Inclusão da deficiência” significa igual acesso de todos… mudando normas, infraestruturas e atitudes para eliminar barreiras.

[Letreiro]
O que é “inclusão da deficiência”?

[Termina o fundo musical. No canto superior esquerdo, aparece o rosto do primeiro homem. No canto superior direito, aparece o letreiro]

[Nome]
Ato Amaha Berbel

[Cargo]
Perito sênior, Ministério do Trabalho, Etiópia

[Legenda da fala deste homem]
“… pessoas com deficiência têm o direito de participar e se beneficiar do desenvolvimento socioeconômico do país.”

[No canto superior esquerdo, aparece o letreiro. No canto superior direito, aparece o rosto do segundo homem]

[Nome]
Bob Ransom

[Cargo]
Diretor executivo, Centro Etíope de Deficiência e Desenvolvimento

[Legenda da fala deste homem]
“O que a ‘inclusão da deficiência’ significa para mim é que as pessoas com deficiência – indivíduos e membros de sua família – tenham igual acesso aos mesmos serviços e às mesmas oportunidades que as pessoas sem deficiência têm. Isso significa: em todos os setores da vida: educação, saúde, emprego, esporte e lazer, recreação, atividades culturais, em tudo.”

[No canto superior esquerdo, aparece o letreiro. No canto superior direito, aparece o rosto do terceiro homem]

[Nome]
Ato Kassahun Yebeltal

[Cargo]
Ex-Presidente da Federação das Associações Nacionais Etíopes de Pessoas com Deficiência

[Legenda da fala deste homem]
“Para mim, ‘inclusão da deficiência’ é mudar o mundo do trabalho em benefício das pessoas com deficiência, quero dizer, modificando a totalidade do mundo do trabalho. E aí as pessoas com deficiência estarão incluídas em todos os aspectos da vida humana.”

[No canto superior esquerdo, aparece o letreiro. No canto superior direito, aparece o rosto da primeira mulher]

[Nome]
Dina Makonnen

[Cargo]
Diretora de Vendas e Marketing, [empresa] Info Mind Solutions, Etiópia

[Legenda da fala desta mulher]
“… significa emprego, e que haja políticas de emprego inclusivo, por parte das organizações, da iniciativa privada, e que cumpram essas políticas contratando pessoas com deficiência e transformado suas organizações.”

[No canto superior esquerdo, aparece o letreiro. No canto superior direito, o rosto da segunda mulher.]

[Nome]
Hanna Nabiye

[Trabalho]
Setor de Deficiência, Instituição de Ombudsman, Etiópia

[Legenda da fala desta mulher]
“Para mim, ‘inclusão da deficiência’ significa pessoas com deficiência tendo vida independente. Se os direitos delas forem incluídos em todos os serviços, se os direitos delas forem respeitados, aí elas terão vida independente.”

[Letreiro]
Por que a ‘inclusão da deficiência’ é importante?

[No canto superior esquerdo, aparece o letreiro. No canto superior direito, aparece o rosto do quarto homem]

[Nome]
Ato Alemayehu Teferi

[Cargo]
Presidente, Federação das Associações Nacionais Etíopes de Pessoas com Deficiência

[Legenda da fala deste homem]
“Se esquecermos as pessoas com deficiência, perderemos muitas coisas. Perderemos oportunidades de desenvolvimento.”

[No canto superior esquerdo, aparece o rosto do quinto homem. No canto superior direito, aparece o letreiro]

[Nome]
Khun Tawatchai Polchareon

[Trabalho]
Congresso Nacional de Empregados Industriais Particulares (NCPE), Tailândia

[Legenda da fala deste homem]
“Os ‘incapazes’ têm capacidade para trabalhar adequadamente e também para melhorar a economia. Não só isso. Se eles podem melhorar a economia, isso significa que podemos usar as coisas que eles produzem.”

[No canto superior esquerdo, aparece o letreiro. No canto superior direito, aparece o rosto do sexto homem]

[Nome]
Ato Tesfaye Haileselassie

[Trabalho]
Projetos e Preparação de Programas, RemSEDA [órgão de governo], Etiópia

[Legenda da fala deste homem]
“ ‘Inclusão da deficiência’ inclui pessoas que moram na comunidade como seres humanos, como vocês e eu. Então, ignorar este segmento da população é… bem… não pode ser verdadeiramente realístico. Vocês precisam incluí-las em suas atividades.”

[Letreiro]
Como podemos fazê-la acontecer?

[Aparece uma fila de jovens sorridentes. O primeiro da fila fala. Legenda da fala do jovem]
“Igualdade para todas as pessoas deficientes.”

[No canto superior esquerdo, aparece o letreiro. No canto superior direito, aparece o rosto da terceira mulher]

[Nome]
Duong Thi Van

[Cargo]
Vice-Presidente, Associação de Pessoas Deficientes, Vietnã

[Legenda da fala desta mulher]
“… empreendimentos precisam estar abertos para pessoas deficientes. Educação: escolas abertas para pessoas com todos os tipos de deficiência. Por exemplo: para pessoas com autismo, pessoas com deficiência intelectual.”

[No canto superior esquerdo, aparece o letreiro. No canto superior direito, aparece o rosto do sétimo homem]

[Nome]
Khun Suwit Sasanapichit

[Cargo]
Diretor, Departamento Criativo e de Programas, Serviço Público Tailandês de Radiodifusão, Tailândia

[Legenda da fala deste homem]
“… nós, da mídia, podemos mudar algo que seja uma grande mudança, isto é, para o melhor. Mudar o paradigma, mudar percepções.”

[Letreiro]
Como incluir todos no mundo do trabalho?

[No canto superior esquerdo, aparece o rosto do oitavo homem. No canto superior direito, aparece o letreiro]

[Nome]
Khun Sawang Srisom

[Cargo]
Treinador, Treinamento em Igualdade da Deficiência, Tailândia

[Legenda da fala deste homem]
“… Precisamos prover acessibilidade para pessoas com deficiência nos locais de trabalho e no transporte.”

[No canto superior esquerdo, aparece o rosto do nono homem. No canto superior direito, aparece o letreiro]

[Nome]
Diego Cortizas

[Cargo]
Empresário, [empresa] Chula Fashion, Vietnã

[Legenda da fala deste homem]
“Gostaria de incentivar os empregadores, acima de tudo, para que superem seus medos. Quando houver uma vaga na sua empresa, sempre pensem primeiro: ‘sim, posso contratar uma pessoa deficiente’. Sei que, em 90% dos casos em que os empregadores contrataram pessoas deficientes, eles acabaram ficando satisfeitos.”

[Volta o mesmo fundo musical do início do vídeo. Esta música, com o mesmo cantor, é tocada até o término do vídeo. As primeiras palavras de uma frase começam na parte inferior da tela e vão subindo lentamente]

[Letreiro]
No mundo, uma em cada seis pessoas – ou aproximadamente um bilhão – tem deficiência. Pessoas deficientes podem e querem trabalhar, mas a maioria não está trabalhando. Isto pode custar, em seus países, a perda de até 7% do PIB. Pessoas com deficiência querem não mais e não menos que aquilo que outras pessoas têm: sustentar sua família… contribuir para a sua comunidade… viver com dignidade… e uma chance justa de um trabalho decente. Não é muito difícil incluir todo mundo… é a coisa certa para fazermos. Todos nós juntos precisamos fazê-lo acontecer.

[Letreiro em fundo preto. No centro da tela, em letras brancas, a mensagem do produtor]
A OIT deseja agradecer a Irish Aid pelo seu apoio na promoção da inclusão de pessoas deficientes no mundo do trabalho.

[A tela é dividida em duas colunas. Na coluna da esquerda, em fundo preto, aparece o letreiro em letras brancas]
Música de Haftom Kahsay
Haftom Kahsay é empreendedor, cego, tem uns 25 anos de idade. Haftom está agora montando seu estúdio, em Mekele, Etiópia, no qual ele produzirá material educativo para estudantes cegos.

[Na coluna da direita, aparece um homem. É ele que cantava (em off) no início do vídeo. Agora ele aparece cantando e tocando um instrumento de cordas, africano, semelhante a um violão. Haftom Kahsay é o nome deste homem]

[Letreiro em fundo preto. No centro, um quadrado branco. Dentro do quadrado, uma logomarca: três círculos ovalados, nas cores amarelo e ouro, estão sobrepostos. Circundando a parte superior esquerda da logomarca, aparece a frase]

Trabalho Decente para Pessoas com Deficiência

[Término do vídeo]

Nota do tradutor/descritor: Foram respeitadas as palavras que tanto a OIT como os entrevistados usaram ao se referirem às pessoas com deficiência. Se, na tradução das legendas e dos letreiros, aparecem ora o termo “pessoas deficientes” e ora o termo “pessoas com deficiência” é porque foi exatamente assim que a OIT escreveu e cada entrevistado falou. Quando o entrevistado Khun Tawatchai Polchareon disse: “Os ‘incapazes’ têm capacidade para trabalhar”, ele deu eco, deliberadamente, à palavra “incapazes” que a sociedade usa e, logo em seguida, ele juntou o contraditório (“têm capacidade para trabalhar”). E com isso ele mostrou à sociedade que aquela palavra não corresponde à realidade.

Fonte: OIT/Romeu Sassaki