Logotipo da Corte Interamericana de Direitos Humanos - em forma de globo, onde aparece o mapa das Américas.Os Defensores Antonio Mafezzoli, de São Paulo e Roberto Tadeu Vaz Curvo, do Mato Grosso, ocuparão posto de Defensor Público na Corte Interamericana de Direitos Humanos.

Entre outras importantes atribuições, o Defensor Público Interamericano vai exercer a defesa legal daqueles que não possuam representação perante a Corte Interamericana de Direitos Humanos.
O mandato é de dois anos para seus membros, prorrogáveis por mais dois. Antonio Mafezzoli foi escolhido em virtude do currículo, da vivência das questões ligadas aos Direitos Humanos e do histórico
funcional. Para se integrar à nova função, o Defensor participou de curso de qualificação na Universidade de Direito do Chile, versando sobre o sistema interamericano de promoção e defesa dos Direitos Humanos.
No dia 20 de maio, em evento em comemoração ao Dia do Defensor Público, o Defensor Público Interamericano, Antônio Mafezzoli, ministrou palestra aos Defensores Públicos do Estado do Ceará, sobre a atuação da Defensoria Pública no sistema Interamericano de Proteção dos Direitos Humanos.

Fonte: Informativo da Ouvidoria Geral da Defensoria Pública de SP