Os 5 personagens da peça, à porta do manicômio

A Accademia Della Follia, companhia teatral italiana que nasceu há 30 anos no antigo hospital italiano de Trieste, realiza turnê por estados brasileiros com o espetáculo “Extravagância: Técnica + Loucura = Arte”, falado em português. No Ceará, o grupo se apresenta em Fortaleza e Quixadá. O Projeto que deu origem à peça, com “atores-loucos”, recebeu a Medalha Nacional Italiana de Mérito no campo das artes, da cultura e do espetáculo, oferecida pela Presidência da República Italiana.

O espetáculo enfoca o tema das relações humanas com e entre pacientes psiquiátricos e promove um debate com artistas, operadores e usuários de instituições de saúde mental. Em Fortaleza a peça será apresentada no Teatro Via Sul, nesta terça-feira (7) às 16h, e em Quixadá na quinta-feira (9), às 19h, no Ginásio Gonzaga Motta. A peça já foi apresentada no Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador.

Em 1978, o psiquiatra Franco Basaglia, conseguiu a aprovação de uma lei revolucionária, estabelecendo a abolição dos hospitais psiquiátricos na Itália. A peça enfoca a trajetória de cinco pacientes com problemas mentais, que vivenciam a consequência da lei. Quando o hospital é fechado e eles voltam para suas famílias, encontram um ambiente totalmente diverso do que esperavam: frio, sem afeto, sem interesse e compreensão. Assim, decidem voltar para o hospital e viver do jeito deles: sem médicos, sem eletrochoque, sem chaves e ferrolhos, em uma comunidade aberta, com novas regras estabelecidas por eles próprios.

A vinda da Accademia Della Folia ao Ceará foi possível graças à iniciativa do Instituto Vandick Ponte, por meio de um intercâmbio com o psiquiatra e filósofo italiano Miguel Benasayag, que intermediou o contato com a companhia., diz a Coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas do Instituto, psicóloga Arminda Rodrigues. O horário da peça em Fortaleza será às 16h, segundo Arminda, para facilitar a ida de pacientes e familiares. A promoção conta com o apoio do Centro de Atenção Psico-social (CAPS) de Quixadá.

Saiba mais sobre o projeto

O espetáculo, escrito por Dacia Maraini, foi concebido para ser interpretado por atores realmente loucos, os atores da Accademia della Follia. Sob direção de Claudio Misculin, também ator, a peça estreou em 10 de outubro de 2009 no Teatro Goldoni em Veneza e realizou uma temporada de 10 a 22 de novembro, no Teatro Stabile Rossetti, em Trieste. A partir de então, foi apresentado, aproximadamente, por 40 vezes na Itália.

Depois do sucesso de crítica e público, o projeto voltou o olhar para o Brasil. Vale destacar que em visita ao nosso País, Basaglia esteve no Hospital Colônia na cidade de Barbacena (MG), que foi comparado por ele ao um “campo de concentração nazista”. Assim, o projeto proposto torna-se uma “ponte cultural”, ligando a realidade italiana à brasileira. Por meio dele, é possível a experiência teatral como um momento de crescimento e formação dos loucos-atores e a realização de um momento de intercâmbio entre os profissionais.

* Com informações da assessoria de imprensa do Projeto – Jornalista Martha Toffolo – (fone: 31 3221 6959 / 8745 6959)

Contato em Fortaleza: Arminda Rodrigues, Coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas do Instituto Vandick Ponte – (fone: 85 8748 8586)

________________________

Fonte: Agência da Boa Notícia
(85 3224 5509 – Jornalista Responsável: Carmina Dias 00629JP / Estagiário de Jornalismo: Leandro Porto)