Um boneco de papel exlcuído de um círculo de bonecos de papel

Sofrimento e exclusão: sobre os impulsos críticos da teoria do reconhecimento, por Michele Salonia. Porto Alegre, Civitas – Revista de Ciências Sociais, vol. 8, no. 1, 2008. p. 125-136

Link para download.

RESUMO/ABSTRACT

O texto constata a presença continuada de experiências negativas como miséria, reificação, vidas danificadas, o não-idênito e desrespeito no centro da teoria crítica como formas originais do interesse emancipatório, e coloca a pergunta, se elas são um correlato inevitável da vida social. Se assim fosse, superá-las significaria romper os laços sociais. O argumento do autor no texto é que a teoria do reconhecimento de Axel Honneth, ao contrário, não apenas consegue conectar estreitamente a experiência pessoal com relações sociais, a auto-realização individual com o estreitamento dos laços sociais, mas interpretar experiências negativas como déficit de inclusão social e expor como sentimentos de injustiça podem se tornar impulsos para a revitalização da inclusão social.