WWW - um varal no horizonte com seis calças a secar, formando a sigla www

Nota da Inclusive: Quando é que poderemos estufar o peito e dizer que temos 20.000 sites promovendo a inclusão social e o respeito à dignidade humana no Brasil?

Em apenas um mês, a SaferNet Brasil recebeu cerca de mil denúncias de crimes cometidos pela internet – homofobia (4.541), crimes neonazistas (3.019), racismo (1.675) e intolerância religiosa (1.464).

Estatísticas

Em 2009 foram realizadas 52.388 denúncias de crimes cibernéticos ao site SaferNet Brasil.

Neste período o portal registrou 12.964 denúncias de neonazismo, 12.477 de xenofobia, 12.130 de intolerância religiosa, 8.510 de racismo e 6.307 de homofobia.

Thiago Tavares, diretor-presidente da Safernet, afirma que a rede criou “novas e surpreendentes” possibilidades para o internauta.

Porém, o espaço público não pode ser identificado como uma terra sem lei e do “posso tudo e ninguém me acha”.

– É importante que todos os crimes de preconceito e discriminação sejam denunciados.

O empenho da população é fundamental para a punição de criminosos que espalham conteúdos preconceituosos – defendeu.

Apesar das punições previstas em lei para atitudes preconceituosas, a internet se tornou terreno fértil para que milhares de pessoas divulguem e consumam material contra negros, judeus, religiosos, homossexuais e até imigrantes.

Entre outubro e novembro deste ano, a SaferNet Brasil, associação civil de direito privado com atuação nacional, registrou mais de mil denúncias contra esse tipo de manifestação.

Além disso, pelo menos 20 mil sites hospedados no Brasil produzem conteúdo discriminatório.

A maior parte das denúncias é contra manifestações xenofóbicas, com 1.042 registros.

Em seguida, homofobia (781), racismo (269), crimes neonazistas (220) e intolerância religiosa (176).

No primeiro semestre de 2010 foram registradas 16.636 denúncias de material discriminatório.

Homofobia ficou em primeiro lugar nas denúncias (5.937), seguido por xenofobia.

___________________

Fonte: Jornal do Brasil