I Jornada pelo Fim da Violência contra Mulheres com Deficiência - Acompanhe a programação organizada pela Frente Nacional das Mulheres com Deficiência FNMD 22/11 a 10/12/21 Transmissão ao vivo pelo Facebook

Há menos de 3 meses, um grupo determinado se reuniu em torno de um objetivo comum e ambicioso: o fim da violência contra mulheres com deficiência.

 

Confira os nomes das membras da Frente Nacional das Mulheres com Deficiência:

https://docs.google.com/document/d/1PbKOOh5huwmRqQowIoY1EewEBUjAdDXW/edit

Uma foi puxando a outra e, em pouco tempo, mais de 120 mulheres com deficiência, mães de pessoas com deficiência e especialistas que trabalham na área, fizeram parcerias para montar uma programação dedicada ao assunto como nunca houve no país.

16 eventos formam a I Jornada pelo Fim da Violência contra Mulheres com Deficiência

As Procuradorias da Mulher no Senado Federal e na Câmara dos Deputados foram as primeiras a acolher a demanda e realizarão em 9/12 a audiência pública “Todas Juntas – Enfrentando a violência contra a mulher com deficiência”.

“A Atuação do Ministério Público, Delegacias de Polícia e Defensoria Pública no Combate à Violência contra Mulheres com Deficiência”, 30/11, é um dos eventos mais esperados, uma vez que estes são os órgãos diretamente responsáveis pela proteção das mulheres com deficiência.

A UNFPA, Fundo de Populações das Nações Unidas, vai organizar uma Roda de Conversa sobre o tema dia 25/11.

Descrição da imagem: cartão com fundo amarelo, letras pretas. Texto: Mulher com deficiência, sofreu violência? Põe no B.O.! imagem de carimbo e logo da Frente Nacional das Mulheres com Deficiência.

A Frente está lançando a campanha  “Violência contra Mulher com Deficiência, põe no B.O.!” uma vez que não existe espaço no formulário de ocorrência policial para registrar a condição de violência. Com isso, não há números confiáveis para criação de políticas públicas que incluam o segmento.

Saiba mais: http://www.inclusive.org.br/arquivos/32282

A violência contra a mulher com deficiência vai muito além da violência doméstica. Jovens autistas são amarradas para ser contidas, mulheres com deficiência são esterilizadas sem saber, meninas surdas são proibidas de usar as mãos para serem obrigadas a falar e não fazer sinais, por exemplo.

A violência institucional é uma das mais graves. Recentemente em Crato, no Ceará, a polícia interditou uma clínica onde 30 mulheres, a maioria com deficiência psicossocial, ficavam presas em celas, sofrendo vários tipos de maus tratos e violência, inclusive sexual.

logo eu me protejo

www.eumeprotejo.com

E a prevenção, tão pouco realizada no Brasil, também é uma grande preocupação do grupo. O projeto “Eu Me Protejo – educação inclusiva para prevenção da violência na infância”, foi criado para uma menina com síndrome de Down em linguagem simples e desenho universal da aprendizagem, podendo ser usado com crianças, seus familiares e educadores desde a pré-escola. Professores municipais do Rio de Janeiro já receberam formação sobre o projeto e dessa vez a próxima cidade contemplada será São Luis do Maranhão.

Ao final da Jornada, a Frente vai organizar um documento com o objetivo de subsidiar a construção e implementação de políticas públicas e ações efetivas para o fim da violência contra as mulheres com deficiência.

Todos eventos são gratuitos, terão intérprete de Libras e serão transmitidos ao vivo pelo Facebook da FNMD

https://facebook.com/frentemulherescomdeficiencia

Confira a programação completa da Jornada.

Atualizações da programação:

https://docs.google.com/document/d/1ffmrEDSfZx1XctFPkpYe9eeLMyqutmdaK4aUXSlk5Wk/edit

 

I JORNADA DE ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA CONTRA MULHERES COM DEFICIÊNCIA

Transmissão: 

Facebook FrenteMulheresComDeficiencia

 

1 – 22/11, segunda, 19h

Live de Abertura da Jornada

– Painel I

Abertura e apresentação da FNMD – Rosana Lago  (FNMD)

Estrutura e funcionamento da Frente – Lisane Marques (FNMD)

A importância da FNMD para mulheres com deficiência

Participação: Suri, Agna, Kleudiane e Louize (FNMD)

– Painel II: 

Relacionamento Abusivo, Violência  Doméstica e Familiar contra a Mulher com Deficiência – Mônica Kalile

O impacto da violência doméstica e familiar na vida da mulher com deficiência: a revitimização que a sociedade te impõe – Izabel Maior (FNMD)

 

2 – 23/11, terça, 14h

Audiência Pública na Câmara de Deputados – Comissão de Defesa de Direitos das Pessoas com Deficiência  

– Rosana Lago Frente, Fundadora e Coordenadora da Frente Nacional de Mulheres com Deficiência – FNMD, e Vice-presidente do Comped Conselho Municipal dos Direitos das Pessoas com Deficiência de Salvador (FNMD)    

– Ewelin Canizares, Coordenadora da Frente Nacional de Mulheres com Deficiência, professora, analista ambiental e membra do Movimento Feminista de Mulheres com Deficiência Inclusivas (FNMD)

– Laureane Marília de Lima Costa, Pesquisadora, psicoterapeuta, atua com projetos de prevenção ao bullying, ao sexismo e ao heterossexismo para escolas 

– Isadora Nascimento, Pesquisadora, Integrante do Movimento Vidas Negras com Deficiência Importam

– Adriana Dias, Pesquisadora das doenças raras e pessoas com deficiência – Associação Vida e Justiça em Apoio e Defesa das Vítimas de Covid-19 (FNMD)

– Mariane Pinoti, Ex-secretaria de defesa dos direitos da Pessoa com Deficiência da cidade de São Paulo 

Link para assistir a Audiência Pública sobre Violência contra Mulheres com deficiência na Câmara de Deputados

cd.leg.br/edemocracia_2487  

 

3 – 25/11, quinta, 15h 

Roda de Conversa sobre Violência contra Mulheres com Deficiência – UNFPA – Fundo de Populações das Nações Unidas

Adriana Dias – Pesquisadora das doenças raras e pessoas com deficiência – Associação Vida e Justiça em Apoio e Defesa das Vítimas de Covid-19 (FNMD)

 

4 – 25, 26 e 29/11, quinta, sexta e segunda, 18:30h

Eu Me Protejo – educação para prevenção da violência na infância e Lançamento do livro “Menina não guarda segredo”, de Neusa Maria

Secretaria Municipal Extraordinária da Pessoa Com Deficiência (SEMEPED) e Secretaria Municipal de Educação (SEMED) da Prefeitura de São Luis/MA

Local: Escola de Gestão Pública Municipal, em São Luís, no Maranhão

Secretário Municipal da Pessoa com Deficiência, Dr Carlivan Braga
Secretária Adjunta de Educação de São Luís, Gusmaia Mousinho
Superintendente de Educação Inclusiva
Professor Alexandrey Melo
Coordenadora do Eu Me Protejo, Patrícia Almeida (FNMD)

 

5 – 26/11, sexta, 10h

Audiência Pública – Violência contra Mulheres com Deficiência – ALERJ – Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro

Deborah Prates (FNMD)

Luciana Novaes (FNMD)

Deputada Enfermeira Rejane

Ana Leticia Novoa

Nathalia Fonseca

Roberta Sales

    

6 – 27/11, sábado,16h

Cine Debate 

 

7 – 29/11, segunda, 16h

A Violência Sexual contra Mulheres com Deficiência – Prevenção e Acolhimento

Luanna Tomaz – Advogada e Doutora em Direito pela Universidade de Coimbra Coordenadora da Clínica de atenção às violências da UFPA

Mediadoras – Maristela Lugon e Gisele Costa – advogadas e coordenadoras da Frente Nacional das Mulheres com Deficiência (FNMD)

 

8 – 29/11, segunda, 19h

Violência Doméstica e familiar contra pessoas com deficiência. As medidas de enfrentamento e a falta de políticas públicas – Parceria com Na Pauta Online 

Joelson Dias 

Sabrina Veras (FNMD)

Rosana Lago (FNMD)

Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Ações Afirmativas – Prefeitura de Goiânia 

 

9 – 30/11, segunda, 9h

A Atuação do Ministério Público, Delegacias de Polícia e Defensoria Pública no Combate à Violência contra Mulheres com Deficiência – Ministério Público, Defensoria Pública e Delegacia da Mulher do Ceará

– Liduína Carneiro – advogada, mãe autista, ativista de Direitos Humanos e das Pessoas com Deficiência, Coordenadora Geral no IDAI (FNMD)

– Noêmia Landim – defensora pública titular do Núcleo de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar da Defensoria Pública (Nudem)

– Manuela Lima da Costa – Delegada de Polícia Civil, Pós graduação em Direito e Processo Administrativo, Pós graduação em Inteligência em Segurança Pública

Atualmente lotada como delegada adjunta da Delegacia de Defesa da Mulher de Fortaleza

– Eneas Romero – Mestre em Direito e Estado pela Unb, graduado pela UFC,  pesquisador e membro externo do CEDPAL (Centro de Estudos de Direito Penal e Processual Penal Latino-americano), professor universitário Promotor de Justiça na área de direitos humanos (saúde, proteção de idosos e deficientes). Coordenador do Centro de Apoio da saúde do MPCE, vice presidente da Ampid

 

10 – 30/11, terça, 19h 

Políticas Públicas Afirmativas na Promoção de Direitos e Prevenção das Violências – Coletivo de Trabalhadores e Trabalhadoras com Deficiência da Central Única dos Trabalhadores – CUT

Anna Paula Feminella – Mediação (FNMD)

Germana Savoy (FNMD)

Maria Cleide – Coordenadora do coletivo de trabalhadores da CUT

Roseli Faria 

 

11 – 1/12, quarta, 19h, 

Políticas Públicas para Mulheres com Deficiência – Apresentação da Frente

Movimento Feminista de Mulheres com Deficiência – Inclusivass e Paradesporto RS

Ewelin Canizares e Germana Savoy (FNMD)

 

12 – 2/12, quinta, 19h

Podcast apresentação da Frente Nacional das Mulheres com Deficiência – Tuca Munhoz convida

 

13 – 3/12, sexta, 10h

Eu Me Protejo porque meu corpinho é meu: um guia para minha filha com deficiência – Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência – Rio de Janeiro

Patricia Almeida (FNMD)

Congresso Inclusão na Prática – https://congressoinclusaonapratica.com/

 

14 – 3/12, sexta, 17h

Roda de Conversa: Marcas da violência – Comitê da Diversidade do Tribunal de Justiça do Acre

Ana Rita (FNMD)

 

15 – 5/12, domingo (horário a confirmar)

Atividade Cultural 

 

16 – 9/12, quinta (horário a confirmar)

Audiência pública Proteção das mulheres com deficiência e retrato pós pandemia – 

Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados em conjunto com a Procuradoria Especial da Mulher do Senado Federal.

 

Acompanhe a Frente pelas redes sociais:

https://facebook.com/frentemulherescomdeficiencia

https://www.instagram.com/frentemulherescomdeficiencia/

https://twitter.com/MDeficiencia

Email: FNMD.Brasil@gmail.com