Capa da revista MP Dialógico. Um lápis é alimentado por inúmeros símbolos e picotgramas. Em destaque, o texto "Valor Humano da Educação".
Número especial da MP Dialógico sobre o valor humano e o direito à educação. Clique sobre a figura para abrir a edição em pdf. (Link externo)

Com atenção ao aumento dos casos de intolerância, violência moral e física na sociedade brasileira, o Conselho Editorial da Revista MPD Dialógico buscou uma reflexão sobre as possíveis causas do problema. Entre as prováveis razões estão as falhas educacionais como responsáveis na deformação de valores éticos e morais de crianças e adolescentes, portanto, dos cidadãos. Isto porque a forma pela qual se nota a relegação de gerações inteiras de brasileiros a uma educação de segundo nível, num ambiente de clara violação permanente de direitos, indicaria porque o país de depara com a constante queda de valores sociais.

A partir disto, esta edição aborda como tema central o valor humano da educação e visa discutir possíveis caminhos educacionais para que cidadãos mais tolerantes, com maior consciência crítica do mundo, bem como estimulados para a cultura de paz e cidadania participativa, sejam formados. Ao longo das próximas páginas, você leitor terá acesso às concepções de especialistas da Pedagogia, Psicologia e do Direito, os quais expõem como a humanização do processo educacional favorece a construção de significados aos jovens. Como consequência, tais propostas influenciam positivamente nas relações que manterão em ambiente familiar e social.

Na entrevista que abre este número, Magda Becker Soares, uma das mais respeitadas educadoras do país, defende os pilares para uma educação mais humanizada. A pedagoga compreende que os modelos educacionais devem respeitar a individualidade de cada aluno e permitir que as discriminações sociais e econômicas sejam efetivamente superadas. A estudiosa ressalta ainda que cabe à gestão escolar e de ensino inspirar o valor da educação como forma de atribuir plena humanização aos educandos.

É inegável que assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referente à educação é dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público, conforme preconiza o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Ainda mais incontestável que nenhum menor deveria ser alvo de violência, crueldade, opressão ao protestar por um direito tão fundamental quanto a educação. Educação esta que tanto pais ou responsáveis quanto escolas, respeitadas suas devidas esferas, têm responsabilidades a cumprir diante da educação dos jovens.

Até porque pode-se pensar a educação como o conjunto de aprendizados adquiridos por uma criança dentro do lar, os quais adquirem parâmetros diversificados na escola e, por fim, conquista especificidades para a convivência em sociedade. Por meio do conteúdo aqui disponível, a MPD Dialógico espera contribuir para que a educação brasileira seja remodelada para um sistema de ensino cumpra o seu verdadeiro papel, o de formar cidadãos participativos e críticos os quais desejem viver numa sociedade mais tolerante, igualitária, justa e pacífica.

Leia também: