Crianças assistem apresentação de leitura

Uma criança lendo um livro a sonhar com todas aquelas palavras cheias de cores, sabores, perfumes e sentimentos, a sonhar com as mil possibilidades de conquistas, aventuras e atos heróicos. Essa criança pouco é encontrada nos bolsões de pobreza, e a probabilidade de se tornar um adulto igualmente desprovido da habilidade e da identificação com a leitura é o destino mais próximo da realidade.

Essa realidade pode mudar e, acreditando nisso, a Ação da Cidadania criou os Espaços de Leitura. Centenas de “bibliotecas” móveis nascem alimentadas com os livros arrecadados na Campanha Natal sem Fome dos Sonhos. Já são mais de 150 espalhados em vários estados do Brasil – Rio de Janeiro, Ceará, Pará, Paraná, Bahia, Amazonas, São Paulo e Rio Grande do Sul -, promovendo atividades regulares.

Nos Espaços de Leitura se valoriza o saber popular, tendo a educação para a cidadania como propósito. Empréstimos de livros, contação de histórias, concursos de redação e poesia, formação de redes de cultura e identificação de analfabetos funcionais são exemplos de atividades desenvolvidas nos mais remotos recantos do país. Em 2008, cerca de 15.000 crianças e adolescentes tiveram acesso aos livros em empréstimos do Espaço de Leitura, fazendo circular 60 mil livros nos bolsões de pobreza.

A parceria da Academia Brasileira de Letras (ABL) e diversas empresas – Accenture, APPAI – Associação Beneficente dos Professores Públicos Ativos e Inativos do Estado do RJ, Associação Brasileira de Odontologia-Seção RJ, Bob´s, Caçula, Câmara de Comércio e Indústria do Estado do Rio de Janeiro (CAERJ), Chevron, Correios, FioCruz, Instituto Nacional de Tecnologia (INT), Metrô Rio, NATEC, Oi Futuro, Panorâmica, SESC Rio, Transpetro, Tribunal de Justiça e TV Globo, dentre outras – possibilitou a implantação dos Espaços de Leitura, enriquecendo o trabalho desenvolvido na comunidade. Agora o grande desafio do projeto é obter financiamento para a manutenção de suas atividades.

Os Espaços de Leitura são o ponto de partida para a organização de uma grande mobilização da sociedade pelo fim do analfabetismo. Segundo o IBGE, existem no país 37 milhões de analfabetos funcionais, acima de 10 anos de idade. É inaceitável que esse imenso contingente de brasileiros não tenha o direito de sonhar e saber da existência do fantástico mundo de conhecimento que a leitura proporciona. Afinal, sem entender o que lê, há poucas chances de avançar nos estudos, o que aumenta as chances de desemprego ou subemprego. E sem emprego a renda é baixa e a fome e a miséria assombram as famílias.

Fonte: Ação da Cidadania