Educação sexual - um desenho em uma lousa de uma criança e os símbolos de marte e vênus

Sexualidade e deficiencia : superando estigmas em busca da emancipação, por Maria das Graças Machado Moukarzel. Campinas: UNICAMP, 2003.

Link para download.

RESUMO/ABSTRACT

O estudo tem como propósito analisar as concepções sobre sexualidade, predominantes na educação sexual de pessoas com deficiência, através do discurso de professores, familiares e alunos caracterizados como deficientes, matriculados em duas escolas – uma pública e outra particular, situadas no município de Florianópolis, Estado de Santa Catarina. Com o aporte metodológico da dialética e da análise de conteúdo, foi desenvolvida uma pesquisa qualitativa sob a forma de entrevista semi-estruturada com 58 pessoas, sendo 16 professores, 19 familiares e 23 alunos, com idade entre 14 e 32 anos, freqüentando classe comum e ou serviço de educação especial na escola regular. O caminho investigativo teve como ponto de partida a recuperação histórica da sexualidade para deslindar as formas de construção de práticas excludentes na educação sexual de pessoas com deficiência, descrevendo o panorama teórico nos estudos atuais sobre o tema e as abordagens predominantes no Brasil e em Santa Catarina. Os resultados denunciam o senso comum das concepções sobre sexualidade expressas pelos interlocutores, o temor confesso dos pais, a ansiedade dos professores e a dor solitária dos alunos, exigindo o repensar imediato das políticas inclusivas de educação especial, que pouco têm contribuído para a superação das desigualdades de tratamento no que tange a educação sexual dessas pessoas, entendendo que a maior contribuição das práticas integradoras de educação, para todos, consiste em promover a auto-determinação, a responsabilidade para a convivência social solidária e a consciência da sexualidade como expressão genuína e inalienável da condição humana.

Leia também: