O décimo número de Sexualidade, Saúde e Sociedade traz contribuições significativas para a reflexão sobre as tensões que, contemporaneamente, estão em jogo e em conflito no campo da sexualidade, configurando novas moralidades, sensibilidades, experiências, além de novos critérios de avaliação sobre o que deve ser considerado normal e saudável. Oferece ainda aos leitores exemplos sobre maneiras inovadoras de abordar tais tensões, recorrendo a aparatos conceituais que buscam superar clássicas dicotomias, como razão/emoção, corpo/cultura, indivíduo/sociedade, saúde/doença. O diálogo entre os artigos aqui publicados se dá em múltiplos planos teóricos e metodológicos e em torno de diferentes referenciais empíricos.

Acesse a revista neste link.

Fonte: CLAM