Panfleto da pacificação. Foto: Dudu Azevedo

Desde a última sexta-feira, dia 14 de outubro, o Bope realiza operações em quatro comunidades da Maré – Parque União, Nova Holanda, Baixa do Sapateiro e Morro do Timbau. O barulho de fogos e do “caveirão” passando de um lado para o outro da comunidade são música perto dos sons de tiros.

No fim da tarde de sexta, o helicóptero da Polícia Militar sobrevoou a comunidade jogando panfletos que comunicavam a pacificação da Maré. Moradores ficaram sem saber o que estava acontecendo. Quer dizer, ainda não sabem já que não há informação sendo veiculada na grande imprensa, apenas um movimento tímido nas redes sociais e na mídia alternativa.

O jornalista Hélio Euclides, morador da Vila do Pinheiro, diz que é um absurdo mandarem panfletos como se fossem convites. “Lá do céu pedem para que os moradores liguem e denunciem traficantes, aqui no chão eles invadem casas e fazem coisa que por lei não deveriam”, conta o jornalista, que também critica a falta de informação.

De acordo com a nota oficial publicada pela assessoria de imprensa da Polícia Militar, o panfleto que informava que a “comunidade está sendo pacificada” não é verdadeiro. O material jogado do helicóptero foi sobra da pacificação do Morro da Mangueira e a comunidade da Maré não está sendo pacificada. A nota esclarece que “a distribuição deste material teve como único objetivo tranquilizar a população ordeira e estimular os moradores a denunciar os locais de armas e drogas”. Ainda sobre a operação do Bope, a ação é continuada, ou seja, sem tempo determinado para terminar.

Fonte: Viva Favela