Capa do livro Adélia Esquecida, no qual se vê parte de um casaco

Após o sucesso do livro Adélia Cozinheira, em outubro chega às livrarias o livro Adélia Esquecida, o segundo volume da Coleção Adélia, que inovou o método de leitura em Braille ao utilizar um sistema 100% inclusivo.

Este novo método é o primeiro a permitir que uma publicação para deficientes visuais possa, com alta qualidade de legibilidade, ser lido e manuseado por pessoas com e sem deficiência ao mesmo tempo.

Com textos da escritora Lia Zatz e ilustrações da artista plástica Luise Weiss, o livro é destinado inicialmente a jovens, mas, por sua riqueza visual, consegue alcançar todas as faixas etárias. Com texto simples, conta a história da menina Adélia e suas questões cotidianas, em especial os assuntos ligados aos cuidados com ela mesma e à sua autonomia. Aborda, por exemplo, a importância de não se esquecer de amarrar os sapatos, levar o casaco para a escola na mochila etc. Este novo volume da coleção privilegia as texturas dos objetos, visual e tatilmente. O leitor poderá sentir a trama da malha de lã de Adélia, o cordão do seu sapato, o zíper de sua roupa. Além disso, como o livro se utiliza de recursos olfativos, ela também sentirá o cheiro do couro e do jardim, na parte externa da casa, quando Adélia sai para ir para a escola.

O sistema Braille de leitura e escrita resulta da combinação entre seis pontos; a diferença neste inovador processo – chamado Braille BR – está no sistema de impressão, que se diferencia por não furar o papel, permitindo a edição de grandes tiragens, e garantindo ao material uma durabilidade imensurável; e em conjunto com a impressão offset a possibilidade de unir o Braille a cores e texturas com total qualidade na percepção e no aproveitamento do livro para ambos os públicos: visual ou não-visual.

Todos os elementos gráficos do livro foram trabalhados de forma a enriquecê-lo nos três aspectos da percepção humana: visual, tátil e olfativa. Assim, o aproveitamento da obra assume alto nível qualitativo convidando todas as crianças à imaginação e à experimentação.

Essa característica é o grande fator inclusivo do livro, uma vez que, ao democratizar o acesso aos meios culturais e de inclusão social, elimina o isolamento que permeia a vida de crianças com deficiência, na escola ou fora dela.

No Brasil, segundo a OMS, estima-se que há quatro milhões de pessoas com algum tipo de deficiência visual; e 1,2 milhão são cegas.

Com dois volumes no portfólio – Adélia Cozinheira e Adélia Esquecida – a coleção Adélia foi idealizada pela escritora Lia Zatz, com design de Wanda Gomes, que enxergou na sua profissão a possibilidade de criar ferramentas que garantissem maior inclusão às pessoas com deficiência.

Desde o ano em que o sistema Braille foi criado – em 1827, pelo francês Louis Braille – o método nunca havia sido alterado em seus aspectos básicos.

A impressão Braille BR é sobreposta e não prejudica a qualidade da impressão normal em offset. A leitura da primeira não interfere na segunda e vice-versa, e por essa razão é 100% inclusiva. A durabilidade é indeterminada e os pontos não cedem à leitura/pressão dos dedos como na impressão convencional do sistema Braille.

Além disso, a qualidade visual não é prejudicada, já que o novo sistema não rompe o papel e não provoca baixo relevo no verso da folha.

Os caracteres foram ampliados e a fonte foi escolhida com base em estudos e pesquisas realizadas por profissionais de design de tipos para crianças.

O livro traz em suas páginas ilustrações com brilho, textura e relevo, aplicados por meio do processo de impressão serigráfica, a partir de desenhos e fotolitos especialmente confeccionados para produzirem características especiais e variadas sobre as ilustrações de Luise Weiss.

Considerando as necessidades específicas dos deficientes visuais, o design utiliza-se ainda de cores fortes e contrastes, com o intuito de favorecer a leitura e oferecer a maior qualidade de percepção visual possível.

Além disso, conta com a aplicação de aromas em forma de microcápsulas, conferindo aos objetos representados maior capacidade de aguçar os sentidos da criança.

WANDA GOMES

Formada em desenho industrial pela FAAP e pós-graduada em design gráfico pelo SENAC, a paulista Wanda Gomes atua na área do design gráfico desde 1985 e há cerca de 10 anos vem pesquisando as questões do design ligadas à deficiência visual. Responsável pela criação do inovador processo gráfico Braille.BR – método utilizado na impressão dos livros Adélia Esquecida e Adélia Cozinheira – foi a primeira designer gráfica brasileira a levar as questões gráficas do braille para a universidade. Atualmente, é sócia-diretora da empresa WG Desenvolvimento de Produtos e Serviços Ltda e acredita no design gráfico como ferramenta transformadora dos meios de acesso à cultura e à educação.

LIA ZATZ

Lia Zatz nasceu em São Paulo, se formou em Filosofia e desde 1984 se dedica a escrever livros infantis e juvenis. Ganhou duas vezes o Prêmio APCA de melhor autor de literatura infantil, foi finalista do prêmio Jabuti e vários de seus livros receberam o selo Altamente Recomendável da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil.

LUISE WEISS

Graduada em Comunicações e Artes pela ECA – USP, em 1977, com mestrado e doutorado na mesma universidade, Luise Weiss atua como professora de gravura e desenho na Universidade Mackenzie e no Instituto de Artes da UNICAMP. Já expôs obras e instalações na Pinacoteca, Paço das Artes, MASP e MUBE, e publicou livros como Un Pas de Deux, Recortes e Janelas e Dentro do Espelho.

LEI ROUANET

Os livros Adélia Esquecida e Adélia Cozinheira receberam incentivo para produção de três mil livros da IBM Brasil, através do benefício da Lei Roaunet, Ministério da Cultura. A tiragem foi doada a bibliotecas públicas e instituições de ensino.

Adélia Esquecida
Texto de Lia Zatz
Ilustrações de Luise Weiss
Design gráfico de Wanda Gomes

** O sistema de impressão Braille.BR contou com apoio técnico da empresa Efeito Visual Serigrafia, gráfica especializada em alto relevo, que desenvolveu a tinta exclusiva e realizou numerosos testes de impressão e leitura, necessários ao completo desenvolvimento do projeto.