Antonio Maciel, com próteses nas duas pernas, na Reatech 2011, com a camiseta Ser Diferente é Normal.
Antonio Maciel, com próteses nas duas pernas, na Reatech 2011, com a camiseta Ser Diferente é Normal.

O atleta Antonio Maciel faleceu aos 46 anos no dia 6/6 em um acidente com seu triciclo no Rio de Janeiro. Maratonista, ciclista e nadador e um dos fundadores da 3In, Inclusão Integridade e Independência, além de brilhar no esporte era um ativista dos direitos humanos e em especial das pessoas com deficiência.

Abaixo, a biografia de Antonio Maciel, extraída do site da 3In.

O carioca Antônio Maciel, superou vários obstáculos para conseguir exercer a profissão de técnico de enfermagem. Mas a carreira foi interrompida após sofrer um acidente automobilístico no ano de 2000. No acidente, ele sofreu amputação de ambos os pés. A adaptação a nova condição física foi lenta. Levou quase um ano até voltar a se locomover sozinho.

Para a mudança contou com o apoio do médico amputado Marco Antônio Guedes, de São Paulo, especialista em próteses. Com a utilização de próteses, Maciel retomou a vida e passou a participar de atividades esportivas, algo que não tinha costume de fazer. O esporte ajudou na reabilitação. Atualmente, conhecido pelo apelido carinhoso de Perna Elétrica, ele é um dos principais corredores de rua da categoria amputados do Brasil.

Maciel já participou de várias caminhadas e provas, como a Maratona Internacional do Rio de Janeiro e de São Paulo; Corrida de São Silvestre; Maratona de Nova York e a peregrinação pelo Caminho do Sol (percurso brasileiro inspirado no de Compostela, composto de aproximadamente 250 km). A primeira prova que disputou só aconteceu após dois anos do acidente, através do incentivo do ultramaratonista Paulo de Almeida, também amputado, que o inscreveu numa maratona de revezamento, na qual percorreu 5km sem treinar.

Em seguida participou de uma corrida de 10 milhas. Foi a partir dessa prova que Maciel começou a treinar e sentir satisfação em praticar esporte. No mesmo ano Perna Elétrica partiu para a primeira competição internacional da carreira, a Maratona de Nova York, onde se tornou o primeiro brasileiro bi-amputado a participar da corrida. Desse ano em diante os feitos do carioca só aumentaram.

Uma das principais conquistas do atleta foi quando percorreu, a convite, o Caminho de Santiago de Compostela. Por conta do desgaste da prótese, ele precisou de muita perseverança para concluir o trajeto de 800km. Muitas vezes, Maciel é o único brasileiro presente em sua categoria. Ele também concorre nas modalidades ciclismo e natação, utilizando para isso diferentes próteses. Hoje em dia, treina de 10 a 12km por dia, além de fazer musculação e natação três vezes por semana.

Para o futuro pensa em fazer o curso de Educação Física e de técnico em próteses para ajudar outras pessoas a ultrapassar obstáculos e alcançar seus objetivos e sonhos.

Fonte: 3In