Elói Ferreira de Araújo
Elói Ferreira de Araújo

O ex-ministro da SEPPIR, Elói Ferreira de Araújo, acaba de ser confirmado pela ministra da Cultura, Anna de Hollanda, como o novo presidente da Fundação Cultural Palmares, em substituição a Zulu Araújo.

O ex-ministro, inicialmente pretendia permanecer à frente da SEPPIR, onde estava desde 1º de abril de 2010, quando substituiu o ex-ministro e deputado deferal reeleito pelo PT do Rio, Edson Santos. Chegou a autorizar o lançamento de um manifesto com a defesa do seu nome e anunciar planos para o caso de ser confirmado pela Presidente Dilma Rousseff.

No período em que esteve à frente da SEPPIR, Elói conduziu as negociações que resultaram na aprovação do Estatuto da Igualdade Racial, sendo o principal interlocutor, juntamente com o senador Paulo Paim e com o próprio Edson Santos, das conversas com o Partido Democratas (DEM), para aprovar o projeto, com modificações que, segundo expressivos setores do movimento negro, acabaram por desfigurá-lo.

Durante o período em que esteve à frente da SEPPIR, Elói acabou por se afastar do deputado e ex-ministro, considerado o principal defensor da sua permanência no cargo. Embora não rompidos, as relações políticas de ambos, de acordo com um observador bem situado, “estão estressadas”.

Carreira

Elói Ferreira de Araújo foi chefe de gabinete de Edson Santos, durante os cinco mandatos exercidos pelo atual deputado como vereador na Câmara do Rio. Desde 1.990 é bacharel em Direito, tendo, em 2002, concluído o Mestrado em Engenharia de Transportes pela Coordenação dos Programas de Pós-Graduação em Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

O novo presidente da Fundação Palmares militou no PC do B entre 1.981 a 1.993, quando retornou ao PT, Partido de cuja fundação participou.