Pessoas que deram depoimentos para o documentario e livro Historia do Movimento Politico das Pessoas com Deficiencia
Pessoas que deram depoimentos para o documentario e livro Historia do Movimento Politico das Pessoas com Deficiencia

Queridas e queridos amigos, amigas e colegas da SDH e da SNPD/CORDE,

É muito difícil resumir as sensações e emoções vividas nos 8 anos e 3 meses em que tive o privilégio e a honra de compartilhar com vocês o sonho e a realização de trabalhos pelos Direitos Humanos.

Fui pioneira como pessoa com deficiência nos dois cargos e aconteceu o “Nada sobre nós sem nós”. Cada dia de conquista valeu por mil e cada dia de eventual derrota virou aprendizado.

Foram momentos marcantes para a inclusão e a expansão de iguais oportunidades para as pessoas com deficiência de nosso Brasil. Pude coordenar e conduzir. Deixo a cargo de cada um o dever de avançar e levo comigo a esperança de ver a luta pelos Direitos Humanos de todos alcançar o pleno resultado: a valorização e o respeito às habilidades e competências de cada pessoa humana, em especial, aquelas com deficiência intelectual, auditiva, visual, física e múltipla.

Completo uma etapa da política pública voltada para esse segmento, com a certeza que contei com o estímulo, o apoio e a parceria de altos governantes, gestores setoriais, colegas, associações, organismos internacionais e companheiros de vários países que atuam nessa área. O Brasil está mais conhecido e reconhecido como um País que promove e garante os direitos das pessoas com deficiência. Ratificamos a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, ambos com equivalência de emenda constitucional.

Não desejo fazer um relatório das atividades porque tudo está registrado nas publicações da eterna CORDE e nos mais elaborados e inéditos projetos que pudemos produzir durante esse período de trabalho árduo, mas extremamente gratificante. O que se faz com paixão aquece a alma e nos fortalece. É assim que registrarei minha estada na SDH.

Peço a todas e todos, licença para mencionar o Decreto do Cão Guia e o Decreto da Acessibilidade. Mudanças podem ser percebidas nas legendas na televisão, nos sítios eletrônicos acessíveis, na presença dos intérpretes de Libras, na audiodescrição nascente, nos transportes coletivos acessíveis, na tecnologia assistiva, nas construções e na paisagem urbana. A União, Estados, Distrito Federal e Municípios, junto com a sociedade, os militantes e também o empresariado estão mudando a realidade e dando forma à cultura do desenho universal, que é um direito de todas e de cada pessoa.

Cidade Acessível é Direitos Humanos em breve estará na mídia. É um dos resultados da Agenda Social e de tantas outras ações desenvolvidas no passado. O filme e o livro História do Movimento Político das Pessoas com Deficiência no Brasil é um marco, o legado que nos inspira e com o qual homenageamos nossos pioneiros. A parceria com a OEI assegura esse projeto.

Mantenho a certeza de que acreditar é o melhor caminho e trabalhar é a garantia de ver as mudanças acontecerem, no compasso da vida e da capacidade de desenvolvimento da sociedade.

A demanda social sempre haverá de ser o combustível a dar energia para apressar as ações. Entidades e conselhos de direitos são necessários na caminhada conjunta. O CONADE foi uma escola, em todos os sentidos.

Aprendi muito na Casa dos Direitos Humanos. Os valores mais elevados guardarei para sempre na mente e no coração. Os deslizes, inclusive os meus próprios, servirão para reajustes e aprimoramentos, porque nada é em vão.

Com a graça de Deus, muito carinho recebi e compartilhei. Foi um presente de ouro haver conhecido pessoas éticas e verdadeiras que fazem o mundo mais colorido, brilhante e forte.

Aos que vieram até aqui, como equipe, acreditando nas mesmas propostas, quero agradecer profundamente, com um sorriso e uma lágrima de emoção.

Para aqueles que recebem a jóia – a nossa Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência – desejo resultados positivos, muita força e muita sorte nas lutas do dia a dia e que, ao final de suas jornadas, se sintam tão felizes como me sentirei por ter vivido essa magnífica experiência na CORDE.

Meu carinhoso abraço e grande agradecimento.

Izabel Maior

12 de janeiro de 2011