Junto com os eventos comemorativos do Dia Internacional da síndrome de Down, no próximo dia 21 de março,  também entram em cena novos ataques a quem nasceu com um cromossomo a mais. No último mês dois casos que aconteceram na Itália tiveram repercussão internacional. Três executivos do Google foram condenados por um video mostrando um jovem com síndrome de Down sendo humilhado no YouTube, e um site no Facebook que propunha que crianças com síndrome de Down fossem usadas como alvos de tiros.

Dessa vez o alvo foi a organização americana  National Down Syndrome Congress (NDSC), que promovia a campanha – More Alike than Different – Mais Parecidos que Diferentes, um concurso onde as famílias elaboravam cartazes com as fotos de crianças e jovens com síndrome de Down e os mais votados seriam usados para promover o respeito à diversidade.

Na semana passada as imagens postadas para a campanha foram sequestradas e usadas junto a frases ofensivas num forum na internet. O abuso foi descoberto e tanto a NDSC quanto as famílias atingidas prontamente tomaram providências legais denunciando o forum ao FBI, entrando com processo contra os responsáveis e notificando os anunciantes do site.  Em dois dias o site foi tirado do ar. Infelizmente a NDSC decidiu também suspender a campanha até a segunda ordem.

No Brasil, o Instituto MetaSocial resolveu atacar o problema de frente e vem promovendo uma campanha diferente contra esse tipo de crime. Cada pessoa pode se manifestar contra o preconceito com a própria imagem. O internauta que postar sua foto no site Ser Diferente é Normal , pode manipulá-la eletronicamente para que seu rosto adquira as características de que tem síndrome de Down, prestando assim sua solidariedade a quem é vítima desse tipo de abuso.

Sobre o assunto, a repórter Fernanda Honorato, que tem síndrome de Down,  diz que ficou “rosa chiclete” quando soube do abuso. Ela afirmou que quem faz esse tipo de coisa “não é normal”. Fernanda diz ainda que adorou a ideia de cada um poder postar sua foto na campanha Ser Diferente é Normal “porque todo mundo é igual”, e que é contra tirar as fotos de pessoas com síndrome de Down da internet, porque “o que é bonito é pra se ver, e nada de esconder”.

Para denúncias na internet:

http://www.dpf.gov.br/

http://www.safernet.org.br/site/

Para denúncias de discriminação:

Procure a Delegacia Policial do seu estado ou dirija-se ao Ministério Público.

http://www.mpu.gov.br/

Mude a face do preconceito e Diga NÃO ao abuso

Mostre na cara que Ser Diferente é Normal

Mais informações sobre a campanha Ser Diferente é Normal:

http://www.inclusive.org.br/?p=14226

Fonte: Inclusive

Leia também: