Viaje até o Caraíva Viva

quarta-feira, julho 18, 2012
Ilustração de carta simbolizando o e-mail.

Envie por e-mail





Envie por e-mail | Aumentar a fonte do texto. Diminuir a fonte do texto. | Por Equipe Inclusive

Foto: Iara Xavier/Caçadores de Bons Exemplos

Ação: Espaço Cultural Casa Amarela.
Objetivo: Proporcionar ferramentas que contribuam para o enriquecimento do universo cultural e facilitem uma futura inserção profissional
Cidade: Caraíva BA
Como ajudar: www.caraivaviva.org
Saiba mais em http://www.avidaeumaviagem.com.br/blog/caraiva-viva/

Que delícia foi conhecer Dani e sua capacidade de transformação social.

Vamos falar um pouco, sobre um dos projetos deste francês que, apaixonado pelo Brasil, se mobiliza e põe a mão na massa para fazer a diferença em Caraíva.
CARAIVAVIVA está sediada em Caraíva, a o vilarejo mais antiga do Brasil (1537) no sul do Estado da Bahia.

Foi fundada em 2009 por Daniel Bangalter, Mônica Viana e Abdalio Paes Landim Bastos para realizar e apoiar projetos que visem a melhoria da qualidade de vida em Caraíva nos domínios da cultura, educação, saúde, preservação do meio ambiente e sustentabilidade.

Desde a sua fundação, Caraíva, por seu isolamento geográfico, teve de encontrar maneiras de atender suas necessidades básicas sem contar com subvenções do exterior. Esta situação gerou um lugar milagrosamente preservado mas também carente dos serviços essenciais.

Se a vila de pescadores agora recebe no verão um turismo de amantes da natureza intocada, sensíveis ao charme bucólico das ruas de areia, da beira do Rio Caraíva e do maravilhoso céu estrelado preservado pela ausência de iluminação pública, a estação turística é curta demais para sustentar o vilarejo o resto do ano.

Para melhorar a qualidade de vida em Caraíva nos domínios da cultura, educação, saúde, preservação ambiental e sustentabilide e proporcionar melhores oportunidades para os jovens do vilarejo sua contribuição é necessária.
O Centro Cultural Casa Amarela oferece oficinas para 78 crianças e adolescentes de Caraíva: Marcenaria, Artes, Inglês, Dança, Capoeira, Histórias, Bordado e Costura. Outras classes devem começar em breve, incluindo uma iniciação básica em Computadores e Internet, Plantação de produtos hortícolas e plantas ornamentais e Reparação de barcos de madeira.

O objetivo é proporcionar aos participantes ferramentas que contribuam para o enriquecimento do universo cultural e facilitem uma futura inserção profissional.

Os tópicos trabalhados são:
Educação: Curso de inglês, Aula de computador e internet, Aula de fitoterapia.
Saúde: Prevenção odontológica
Preservação: Reciclagem do lixo
Sustentabilidade: Ateliê Mulheres de Caraiva, Rossa: sabões caseiros
Cultura: Aulas de dança afro, Espaço Cultural Casa Amarela, Cinema Caraíva, Oficinas de verão
Incentivar uma criança hoje é tornar melhor o dia de amanhã!

Ano 2012
13 aulas estão abertas para 64 crianças e adolescentes de Caraíva.

Marcenaria – Prof. Dilson Borges Sisnande (3 turmas)
Artes – Prof. Maria do Carmo Maciel Soares “Duca” (2 turmas)
Inglês – Prof. Paula Lemos de Almeida (3 turmas)
Capoeira – Prof. Silmar Porto Sisnande
Dança – Prof. Nathale Sampaio
Bordado – Prof. Maria Joana Arruda Araújo
Oficina Histórias – Prof. Luciene Scalzo
Costura – Prof. Corina Mendes

Outras classes devem começar em breve:
Computadores e Internet
Plantação de produtos hortícolas e plantas ornamentais
Reparação de barcos de madeira.

Ano 2011

9 turmas abertas para crianças e adolescentes de Caraíva;

Oficina de Marcenaria, professor Dilson Borges Sisnande.
Alunos infantil: Alison, Camila, Deliane, Henrique, Iana, Cayke, Daniela, Pedro Henrique, Toni, Ramile, Maria, Serena, Milene, Janice, Guilherme, Hemille, Brena e Isabela.
adolescentes: Enoque, Wilke, João, Douglas, Eliab, Miguel, Jamilton, Eliel, Henrique, Matheus, Marglef e Pedro.

Oficina de Inglês, professora Daniela Giannini.
Alunos: Alison, Camila, Deliane, Henrique, Iana, Cayke, Pedro Henrique, Toni, Ramile, Maria, Serena, Milene, Janice, Guilherme, Hemille, Brena, Isabela, Yasmim, Ronan, Inauyry, João Pedro e Pietra.

Oficina de Capoeira, professor Silmar Sisnande.
Alunos: Alison, Cayke, Toni, Isabela, Inauyry, Iana, Guilherme, Henrique, Pedro Henrique, Caique, Eduardo, Cleyton, Ronan, Brena, João Pedro e Pietra.

Oficina de Dança, professora Nathale Sampaio.
Alunos infantil: Alison, Toni, Isabela, Iana, Guilherme, Henrique, Pedro Henrique, Ronan, Brena, João Pedro, Janice, Maria, Serena, Milene, Kariny, Kamilly, Ruth A., Joala, Ruth B., Rillary, Elis e Inaiá.
adolescentes: Bárbara, Aline, Clara, Jaine, Jamile e Milene.

Oficina de Artes, professora Duca.
Alunos: Alison, Camila, Deliane, Henrique, Iana, Cayke, Daniela, Pedro Henrique, Toni, Ramile, Maria, Serena, Milene, Janice, Guilherme, Hemille, Brena, Isabela, Inauyry, Pietra e Yasmim.

Oficina de Bordado, professora Maria Joana Arruda Araújo.
Alunas: Bárbara, Késcia, Laís, Luana, Raiane, Joice, Jamile, Jaine, Iara, Rizia, Idila, Eleonara e Lorena.

Oficina de Corte e Costura, professora Corina Mendes.
Alunas: Nani, Iara, Aline, Adna e Luana.

Oficina de Teatro, professor Erbert Mainardi.
Alunos: Raiane, Cleyton, Luana, Bárbara, Samira, Késcia e Laís.

Oficina de reciclagem, professora Nathale Sampaio.
Alunos: Rodrigo, Wilke, Daniel, Henrique, Enoque e Adenilson.

PROJETO DE ARTE E EDUCAÇÃO

1- Titulo
Artes e Ofícios no Espaço Cultural Casa Amarela.

2- Período de execução
Anual.

3- Descrição
Um Espaço Cultural hospedado na sede da Associação CaraívaViva (ACV), na Rua dos Navegantes, s/n, aberto de segunda a sexta-feira, com oficinas gratuitas de artes e educação destinadas a crianças e adolescentes de Caraíva, o mais antigo vilarejo do Brasil.

4- Apresentação
O projeto Espaço Cultural Casa Amarela foi idealizado para enriquecer o conhecimento e auxiliar no desenvolvimento de crianças e adolescentes, entre 7 e 16 anos da comunidade de Caraíva. A intenção é de ampliar suas possibilidades através das oficinas artísticas e facilitar uma futura inserção profissional pelo aprendizado de um ofício.
O projeto tem como objetivo preencher algumas lacunas da carência local e realizar um trabalho específico nas suas três principais propostas:
• Valorizar o universo cultural, (oficina de Artes, Dança, Inglês, Teatro, Capoeira…);
• Inclusão digital, (Iniciação a informática, Acesso a Internet, Ferramentas de pesquisa, Programas especiais de Áudio Visual);
• Iniciação em diversos ofícios, (oficina de Carpintaria, Costura, Bordados, Massagem, Cabeleireiro, Eletricista…).
A idéia é dar continuidade ao projeto piloto que foi realizado em Caraíva no verão de 2011 (Jan/Fev) pela ACV e teve resultados positivos de aceitação e desempenho.

5- Justificativa
Caraíva, localizada no extremo sul da Bahia, é o mais antigo vilarejo do Brasil (1537). Por ser de difícil acesso e com uma situação geopolítica especial, os moradores sofrem com a carência de investimentos nas áreas da saúde, educação e cultura. Em decorrência da ausência de uma escola de segundo grau, as crianças ficam sem ocupação e lidam com dificuldades em dar continuação à formação escolar, assim o campo de possibilidades profissionais e as expectativas futuras ficam restritos. Sabemos que ociosos e sem perspectivas, os adolescentes se tornam suscetíveis a perigos sociais como as drogas e a criminalização.

Desse modo, se faz necessário iniciativas que busquem amenizar os efeitos prejudiciais decorrentes de tais situações e proporcionem melhores oportunidades para essas crianças e adolescentes.
Acreditamos que constituir uma base profissional que possa gerar renda, oferecer capacitação para a futura entrada no mercado de trabalho, dar continuidade a ofícios tradicionais que passam de geração a geração e estimular a criatividade, são ferramentas para formarmos melhores cidadãos, que estejam valorizados nas suas potencialidades individuais, culturais e locais e assim, otimistas em relação ao futuro.
Incentivar uma criança hoje é tornar melhor o dia de amanhã.

6- Avaliação
A avaliação se fará constantemente durante o andamento do projeto, deixando em aberto mudanças nas propostas, se assim for necessário.
Porém, ao final do projeto será elaborado um relatório com todas as atividades descritas, frequência dos alunos, desempenho dos objetivos propostos, prestação de contas e registro fotográfico, que será apresentado aos colaboradores e a quem mais possa interessar a consulta.

7- Contra partida
Para a execução do projeto a Associação Caraíva Viva disponibiliza o espaço físico na sua sede para servir como o Espaço Cultural Casa Amarela, se responsabiliza totalmente pelas contas de água e luz, disponibilizam seus escritórios para uso da coordenação do projeto, telefone, impressora e coloca a disposição seu auxiliar administrativo para as contabilidades do projeto.

8- Cronograma de execução / 2011
25 de Abril de 2011 Inscrições, 10 (dez) vagas por turma.
17 de Maio de 2011 Início do Espaço Cultural Casa Amarela.
Primeiro período / Maio a Julho de 2011
Oficina de Carpintaria;
Curso de Dança;
Curso de Artes;
Curso de Capoeira.
Julho de 2011 Recesso para os workshops de inverno
Segundo período / Agosto a Novembro de 2011
Curso de Artes;
Curso de Dança;
Curso de Capoeira;
Curso de Computação e Internet;
Curso de Inglês;
Oficina de Carpintaria.
Novembro de 2011 Preparação da Apresentação e Exposição.
Dezembro de 2011 Fechamento e prestação de contas.

Saibam mais e como ajudar em:
Rua dos Navegantes s/n, Centro, Caraíva, Bahia. Tel: 73 3668-5108
www.caraivaviva.org

Leia também:

ABN revela os vencedores do Prêmio Gandhi de Comun...
O tema central do Prêmio Gandhi é a Cultura de Paz...
PNE: ensino a pessoa com deficiência divide opiniõ...
Apesar de já haver consenso sobre a educação inclu...

Enviar comentário