O poder da publicidade inclusiva

domingo, janeiro 8, 2012
Ilustração de carta simbolizando o e-mail.

Envie por e-mail





Envie por e-mail | Aumentar a fonte do texto. Diminuir a fonte do texto. | Por Equipe Inclusive
Imagem de 5 criancas, tres meninas - uma negra, uma loura e uma oriental, e dois meninos, um oriental e outro louro com sindrome de Down, sob fundo verde mostrando camisetas com preco de 6 e 7 dolares. Todos aparentam ter entre 5 e 6 anos de idade.

Anuncio da Target - O modelo Ryan, aparece do lado esquerdo da foto, de camisa laranja.

Por Patricia Almeida

Em pouco mais de 24 horas, Ryan e Noah viraram pop stars. E a Target, grande cadeia de lojas de artigos populares, se tornou a heroína das pessoas com deficiência. Isso sem fazer nada além do que vem fazendo, sem alarde, desde de a década de 80 – refletir a diversidade dos consumidores em sua publicidade.

Dessa vez, a iniciativa da Target, infelizmente ainda muito pouco seguida no mundo da propaganda, foi repercutida como nunca antes graças ao poder da internet.

Ao ver uma propaganda em que um menino fofo de uns 6 anos, com síndrome de Down, aparece junto a outras crianças anunciando camisetas, Rick Smith, pai de Noah, que também tem síndrome de Down, postou seus sentimentos em seu blog, Noah’s Dad (o Pai de Noah):

Menino de 1 ano com sindrome de Down vestindo camisa branca e gravata listrada sobre fundo branco - Em letras azuis - Hi, I'm Noah. Let's be friends.

Noah e filho de Rick Smith, autor do Blog Noah's Dad.

“Se você viu o anúncio da Target desta semana você pode não ter notado um menino adorável com camisa laranja brilhante sorrindo  na página 9! E se foi assim, isso me faz feliz!

A razão da minha felicidade? Bem, o jovem elegante de camisa laranja é Ryan. Por acaso Ryan nasceu com síndrome de Down, e eu estou contente que a Target tenha incluído um modelo com síndrome de Down no anúncio ! :)

Não era um catálogo de “roupa especial para crianças especiais”. Não havia uma chamada em nenhum lugar da página proclamando orgulhosamente que “a Target tem o orgulho de apresentar um modelo com síndrome de Down no anúncio desta semana!” E eles não pediram que o Ryan vestisse uma camisa com a frase: “Nós não somos todos anjos”, impressa na frente.

Em outras palavras, eles não fizeram um estardalhaço. E eu gostei disso.

5 coisas que a Target disse sem dizer nada

Apesar da Target não ter dito nada ao usar um menino com síndrome de Down como modelo em seu anúncio, eles disseram muitas coisas . Eles disseram as mesmas coisas que a Nordstrom (outra cadeia de lojas de roupa) quando usou Ryan como modelo em seu catálogo no verão passado. Eu poderia enumerar uma centena de coisas ditas pela Target quando produziu este anúncio, mas vou falar as 5 que imediatamente vêm à mente:

Menino com sindrome de Down vestindo casaco de couro, ao lado de duas meninas, uma loura e outra negra - outras fotos de produtos da loja Nordstrom.

Anuncio da Nordstrom - Ryan aparece do lado esquerdo do anuncio, vestindo casaco de couro.

1. Eles disseram que as pessoas que nascem com síndrome de Down merecem ser tratadas da mesma forma que qualquer outra pessoa neste planeta.
2. Eles disseram que é hora das organizações intencionalmente buscarem maneiras criativas para ajudar a promover a inclusão, não a exclusão. (Não é por acaso que a Target usou um modelo com síndrome de Down neste anúncio. Foi uma decisão intencional. Se queremos que o mundo seja um lugar onde todos são tratados iguais, não podemos simplesmente sentar e assistir o tempo passando. Temos que agir intencionalmente. Temos que fazer alguma coisa.)

3. Eles disseram que as empresas não têm que chamar a atenção para o fato de serem inclusivas, para que as pessoas percebam o seu apoio às pessoas com deficiência. Na verdade, não fazendo alarde disso, eles estão fazendo um trabalho melhor ao mostrar o seu apoio para à comunidade de pessoas com deficiência.

4. Eles disseram que é importante para o mundo ver pessoas que nascem com deficiência com outros olhos. Que é hora de deixarmos para trás todos os estereótipos incorretos do passado e seguir em frente abraçando o futuro com imagens de pessoas verdadeiras.

5. Eles disseram que você não precisa gastar muito para os seus filhos terem boa aparência! (Quero dizer, poxa, vamos lá, essa camisa custa só cinco dólares!)”

A sinceridade e o bom humor do texto de Rick fez sentido para uma enorme quantidade de pessoas, dentro e fora da comunidade de pessoas com deficiência.

O post se tornou viral. Recebeu mais de 200 comentários no Blog, foi curtido 18 mil vezes no Facebook e Tweetado mais de 3 mil vezes. O sucesso do assunto atraiu a grande mídia. Mais de 20 órgãos da imprensa repercutiram a notícia, entre elas a ABC, e o britânico Daily Mail. No Brasil, o site UOL também traduziu e publicou o conteúdo.

Rick ficou feliz com o sucesso da história e está aproveitando a atenção para divulgar o Blog em que mostra diariamente vídeos de 1 minuto de seu filho Noah. Os vídeos já foram vistos nos quatro continentes. Em vários deles, Noah aparece fazendo sessões de esimulação precoce. Há pais que escrevem contando que, como não há serviços de terapia ocupacional ou fonoaudiologia onde moram, os vídeos servem para aprenderem a estimular seus filhos em casa.

Outro  objetivo, diz Rick , é encorajar famílias a receberem crianças com síndrome de Down com naturalidade em suas vidas, especialmente casais que descobrem que o bebê que esperam tem a síndrome. Com a taxa de aborto nos Estados Unidos em caso de resultado positivo a mais de 90% , e a expectativa desse número aumentar ainda mais com a chegada de exames menos invasivos para detecção de síndrome de Down na gravidez, o pai de Noah espera convencer aqueles que entram na internet à procura de informação quando recebem um diagnóstico de síndrome de Down. “Eu não faço piquete na porta de clínicas de aborto. Sou mais criativo. Eu acredito na força de uma boa história. E convido as pessoas a conhecerem a nossa”, conclui.

É… com esse anúncio a Target vai conseguir muito mais do que aumentar a venda de suas camisetas.

Fonte – Noah’s Dad e Inclusive

Leia também:

Mais da metade dos estados não tem plano estadual ...
Planos estaduais de educação, sua elaboração e mon...
Frente da pessoa com deficiência no Congresso é re...
Dia 5 de abril, com seminário e discussões sobre a...

5 Responses to “O poder da publicidade inclusiva”

  1. Marta Gil on 9 de janeiro de 2012 at 19:16

    Pat

    Seu texto está excelente! Parabéns!

    bjs
    Marta

  2. elaine on 9 de janeiro de 2012 at 20:38

    A cada e-mail que recebo de vcs vejo o quanto foi maravilhoso eu ter assinado o inclusive.tenho um filho de 01 ano portador da sindrome de down, e é muito bom saber que a visão das pessoas em relação às pessoas com deficiência está mudando. Pra melhor.

  3. Adriana Machado on 23 de janeiro de 2012 at 6:59

    Parabens á empresa por este momento especial de inclusão, é maravilhoso encantador ver e assistir com meus olhos, o que toda mãe especial sonha com esta realidade. tenho Gabriela de 6 anos e oito meses uma linda Down, muitttttttttttttto mais que especial, radiante, encantadora.Estou lançando como modelo fotografico a conheça, vale a pena.

  4. Adriana Machado on 23 de janeiro de 2012 at 7:04

    Estou buscando oportunidade para seu lançamento como modelo, a conheça em meu facebook de Adriana Machado, sou mãe de Gabriela Machado, confere na TV TEM de São José do Rio Preto a reportagem Lição de vida.

  5. [...] conhecida por usar modelos com deficiência em sua propaganda (Ver http://www.inclusive.org.br/?p=21866), desta vez dois anúncios trouxeram crianças com síndrome de Down no mesmo [...]

Enviar comentário